O TAL LUGAR

O tal lugar,

Parece até nome de livro,

daqueles mágicos,

mas não é nada disso.

 

Ele existe, invisível e físico,

Me impede, te impede, nos impede.

Ele está lá, eu juro, eu juro

E sem palavras, nenhuma só,

dita o meu lugar.

 

Eu sou do paralelo

Tu és do paralelo

Não conhece? Tem certeza?

Aquele lugar? Logo depois do oficial.

 

Onde você está,

onde eu estou.

Chegamos depois do espelho.

Da semelhança que vê diversidade,

sempre nos mesmos seres,

iguaizinhos a elas e eles.

 

Eu não estou lá,

mas daqui eu vejo,

eu não estou lá,

estou depois da vírgula,

em paralelo, no entorno,

no tal do “o tal lugar”.

 

poesia, fruto da leitura do artigo – Flip começa com críticas… à Flip
fonte: ZH Entreterimento

Comentários

Comentários

comentários