E acabou a Bienal 2017: Lições e lembranças que ficam

Pois é… foram 11 dias que vivi imersa na Bienal, mas na verdade foram muitos mais e preciso contar esta experiência.

Os ganhos que se pode ter num evento como a Bienal começam meses antes, no trabalho com o seu livro, a dedicação, o esforço. Tudo o que fizer vai ser a vitrine do seu trabalho e de quem você é.

Só posso falar por mim…  somente agora que terminou, sinto no corpo o cansaço dos 11 dias, horas e horas em pé falando e distribuindo marcadores. não há glamour e sim muito trabalho e empenho, mas eu adorei e faria de novo.

Comecei este história desempregada, o que significa que o dinheiro sai, então você precisa medir o tamanho das suas perninhas para não se enrolar nas contas. Sempre olhe o todo, nunca a parte, pois isso pode te enganar e aí…

Mas posso dizer tranquilamente que a Bienal foi um sucesso para mim, pois reconhecimento é algo muito importante, algumas vezes até mais que a venda de um livro, pois há empenhos que focam nos 15 minutos do “produto com letras” e há quem foque na sua obra como um passo de um longo caminho.

Nessa última me encaixo e só colhi vitórias.

Jornal O DIA Baixada

Obrigada! Obrigada! Obrigada! Obrigada!

Gente, fui presenteada com duas matérias de capa em dois jornais importantes, o DIA e EXTRA, nos cadernos Baixada e sendo uma autora independente, isso é um ganho maravilhoso. Viram e acreditaram no meu trabalho. Eu não esperava de nenhum deles o que recebi, então acredito que estou seguindo o meu caminho sem precisar passar na frente de ninguém.

Jornal EXTRA

Obrigada! Obrigada! Obrigada! Obrigada!

E tem mais… várias escolas amaram a matéria, recebi elogios pela obra e até entrei para o quadro de algumas escolas como exemplo de que educação e cultura fazem a diferença.

Um beijão para a Inaiá Cordeiro, 3o ano, Centro de Educação Malvina Queiroz de São João de Meriti, e para a Professora Juliana e Vânia Cordeiro!
Obrigada Aline e Igor, vocês possibilitaram isso.

E além destes ganhos impossíveis de mensurar, tenho os parceiros, canais literários que publicaram artigos escritos por mim, falaram da obra e outros que replicaram e noticiaram a duologia. Meu Muito Obrigada!

Momento Literário, Um Oceano de Histórias, Peregrinos da Noite, Estante Mineira, Nó de Oito (Obrigada pela publicação Lara!), Em sua Estante, Garotas Geek (Obrigada Gabi pela matéria!), Momentum Saga, Entre Livros da Laila, Impressões de Maria (Amei te conhecer!), Afrôbox (Obrigada Élida!) , Universo Aleziano (Obrigada Ale, Bjs!), Perla de Castro da Feira Multi, Kakau, Revista Conexão Literatura, Covil de Livros, Domênica Bjs, Perdidos na Estante, Escrevarte, KdMulheres, Legenda Cultural, Barato Literário e um extra-obrigada para a Beatriz Santos e Iara Croft do Ponto G – Mundo Freak…

Muitíssimo obrigada ao Wagner da Editora Malê por me convidar para o debate sobre Afrofuturismo e Literatura na Bienal. Adorei ter conhecido o Fábio Kabral e o Anderson Assis.

E também um agradecimento especial a todos e todas  que eu conheci durante a Bienal, autores e autoras com quem partilhei os dias e momentos, aqueles que conheciam o meu trabalho, outros que se encantaram no evento. Foi tanta gente e é maravilhoso ter esse contato, retorno, sentir que algo que você faz é bom e vai durar mais que 15 minutos.

1 mil x Obrigada!!!

E ao Josué e todos da Editora Pendragon. Obrigada!

E teve mais…

E não posso deixar de mencionar duas pessoas que adorei conhecer: Conceição Evaristo e Lázaro Ramos, e ambos acharam interessantíssima a minha obra.
Entrou para a estante deles !
Inchei que nem balão de felicidade !!!

Eu queria ter tirado foto de todo mundo que comprou e fez parte desta história que escrevi na Bienal, mas a pessoa (Eu) esqueceu o carregador vários dias, então fico no aguardo de me marcarem no facebook ou no instagram para as fotos que não tenho.

Update – meu Book Trailer

Ficou muito bom…

Então é isso gente, mais uma vez obrigada a cada um e uma que ajudou esta história a se realizar.

E atendendo a pedidos, também fiz um apanhado técnico sobre como participar nestes eventos e o que ter em mente.

Itens básicos de uma autora/um autor num evento:

  • marcadores – 1 milheiro(mil), levei 2 (1 de cada livro). Coloque as redes sociais, o gênero ou gêneros do seu livro e uma mini sinopse. O meu não tinha verso, não coloquei os 2 últimos tópicos, acerto para os próximos.
    Dica: filipeta é uma boa pedida para os horários fora do seu público e pode ser só frente (4/0 na linguagem gráfica) e genérica também para uso a perder de vista.
  • banner – faça-o imparcial para que possa usá-lo por muito tempo. Existe o de lona e o de tecido. No caso do meu livro, fiz de tecido, tinha a ver e confesso que gostei, senti bem vivo. Verifique se a editora parceira tem o suporte, geralmente tem.
    Dica: cores CMYK para impressão fidedigna.
  • livros – não faça um monte achando que vai cair nas graças do público. Faça de acordo com seu público, gênero, dias que terá acesso, horário, tamanho, preço. No meu caso, o livro é para um público mais adulto e/ou antenado com os temas do livro e a Bienal Rio tem mais foco adolescente e mais presença deles também, e não sendo romance ou fantástico ou medieval, meça suas chances.
  • Impressão na gráfica é bom fazer com antecedência de dois, três meses, pois vai atrasar, todo mundo pensa o mesmo e algo pode acontecer lá, no envio. No meu caso, tive problemas com as últimas 15 unidades que fiz de segurança e nada da gráfica (1 ano de serviços) me responder o motivo. Isso acontece, parece estranho, mas um belo dia ela cisma e…
    E claro, brindes também, pois algo simples pode se tornar um caos, um corte de papel desastroso e fora do seu pedido, chaveiros com defeito, outro não entregue. É uma loucura.
  • A Reposição do seu livro na estante é importante, se informe, e se puder faça você mesmo. Deixe um de cada para folhearem.
  • 1 minuto de exposição – Quando você é autor, o seu olhar para o evento precisa mudar, agora é você que aborda a leitora com um marcador e uma fala para chamar a atenção. Serão várias pessoas fazendo isso, portanto, seja breve e interessante ao falar do seu livro quando passam por você e pegam o marcador de livro Seja sucinto, tipo… Olá, essa é uma distopia/romance/etc. adulto/adolescente/etc. onde…./ acontece…. e ….. Têm elementos de isso, aqui e etc. E acabou.
    Quem tiver interesse no tema vai ouvir, agradecer e seguir, vai querer conhecer para ter como opção de compra após as badaladas do varejo ou não vai se interessar,  e tudo bem… lá vem outro, outra.
    É assim mesmo, e as pessoas parando, achando legal, explique melhor, mas não ultrapasse 3 minutos e esteja empolgado com o seu livro, senão nem saia de casa.
  • Seu público – tente ver detalhes do seu público, um negócio meio Sherlock Holmes. Se você tem uma ficção científica adulta, não vai abordar uma adolescente ou alguém com 10 sacolas de livros de romance, alta fantasia. A pessoa pode até gostar, mas você tem material limitado e precisa focar, como faz nas redes sociais. Tente traçar um perfil do seu público, algumas redes sociais mostram o perfil básico dos que curtem a page do seu livro.
  • Lançamento? Melhor chamar de exposição no seu intimo, pois é o que um lançamento de um autor, uma autora novo(a) e correndo atrás significa, uma hora de mesa com seu banner, livro e etc. que levar expostos na porta do stand. Momento de chamar a atenção, portanto, escolha um dia e horário condizente com o seu público alvo. Se for adolescente, meio de semana e horário escolar; Se for adulto, depois das 17h e  final de semana, e no feriado avalie… Acredite, você sente a mudança do público nos corredores.

ATENÇÃO AOS DETALHES QUE FAZEM A DIFERENÇA…

  • A escolha da editora parceira – Sempre verifique os antecedentes: Reclame Aqui, mídias sociais, eventos anteriores, vídeos), o que puder para se embasar e fazer uma boa escolha. Daí verifique valores, leia o contrato, entenda tudo e não terá do que se arrepender. Fui feliz nestes 11 dias com a Editora Pendragon. Obrigada Josué e a todos os autores e autoras que me receberam tão bem.
  • Foco da editora – é importante, escolha a mais próxima do seu e da sua faixa etária de público para ter a certeza que vão passar pela porta, entrar e alguns vão levar o seu.
  • Não fique dentro do stand colado nas prateleiras, imaginem todos fazendo a mesma coisa, afasta o público que está lá fora, passando pela porta e não vai entrar.
  • Não se enfie na conversa de outro autor com um interessado, nem coloque seu marcador dentro do livro de outro autor se fazendo de bobo/boba. Isso é falta de respeito, ética, desnecessário.
  • Deixe as suas coisas juntinhas para não atrapalhar, não leve a casa nas costas. É só o que der na mochila e útil para o dia todo (garrafa para colocar água, lanche em bolsa térmica, um doce, itens de higiene, uma blusa de segurança, pomada para dor nas pernas, algum remédio básico que usa e sabe que pode precisar, dinheiro descentralizado, canetas, credencial do evento e uma bolsa de ombro, pois a mochila horas a fio não vai aguentar e mesmo com rodinhas, pode sair e esquecer ela. E carregador de celular, importantíssimo!
  • Cansou? Sente lá fora, no cantinho, dentro do stand querendo se esticar ou se distraindo no celular é que não dá.
  • Custo diário – faça um cálculo para ver o valor de tudo, a soma geral dos dias vai te dar uma base. Na Bienal você terá docinho, inho mesmo de 8 reais, churros de 20 reais, e comida, sanduíche, suco… prepare-se.E antes de tudo isso, trabalhe a sua obra, tenha conteúdo, fale de aspectos dela, outros assuntos relacionados, seja você de textão, sem textão, em 140 caracteres, enfim… sempre busque fazer o seu melhor.

É isso. Bjs. e Obrigada!

Comentários

Comentários

comentários