E 2018 já vem animado!!! Já está online a Edição Nebulosa – Especial Ficção Científica da Revista Raimundo.


Conheci a revista e sua chamada através de uma postagem no grupo Mulherio das Letras, enviei o meu conto e olha só… o bendito entrou para o hall desta revista, uma grata surpresa.

Nesta edição você vai encontrar contos, poemas, ensaios e um belo editorial para ser lido na íntegra, só digo isso.

E meu conto, o terceiro da lista, Existência é ao mesmo tempo uma viagem espacial e ao interior do que nos faz acreditar que somos únicos, sem igual. A busca por um outro planeta, verdades internas, extinto de sobrevivência e… passem lá para ler.

Editorial A versão curta da história é: a ficção científica é um gênero literário particularmente machista. Não porque mulheres não escrevem ou porque ele não leva em conta as particularidades das políticas de gênero, mas porque a recepção desses textos tem sido espetacularmente cisheteronormativa e branca. Traduzindo: mesmo que existam (e existem!) histórias incríveis, o que faz sucesso mesmo em termos de ficção científica é a saga do homem branco, que sai por aí exibindo suas habilidades superiores que parecem ter vindo do além. Filme atrás de filme, livro atrás de livro, parece que a gente tá tendo só versões diferentes da mesma trama, que acaba sempre com a vitória do bem contra o mal, com a reafirmação da superioridade da civilização Ocidental. Tem sido difícil convencer as pessoas de que, ao contrário, a ficção científica é um gênero especial, que tem o potencial de pensar alternativas radicais de como viver o mundo e de mostrar diferentes tipo de respeito pelo diferente. Pensando nisso – e também servindo os meus interesses particulares de passar horas lendo histórias de robôs – a Raimundo decidiu dar a sua pequena contribuição para o fomento da produção de contos, poemas e ensaios escritos por mulheres que se propusessem a cutucar essa ferida. Ninguém vai salvar o mundo hoje.  Clique e leia o editorial da Revista Raimundo

 

Vale citar que o nome da protagonista é Adimu, que significa: Rara (Suarili, Quênia).

Acesse agora…

 

Revista Raimundo
http://www.revistaraimundo.com.br/

 

Comentários

Comentários

comentários