PRÓLOGO

—————————–



—————-

Notícias de arquivo

República Federativa do Brasil

Ano: diversos

Categoria: política, histórica e geográfica

Período: séc. 22, 23, 24 e 25

 

O que fizemos? Autoridades assumem que não cumpriram  metas de redução de resíduos, colapso dominó é uma questão de tempo 
Fator Sul online  (29.12.2099)

 

Água invade ruas e prédios em todo o litoral brasileiro
Tribuna do Sudeste online  (3.1.2100)

 

Aumento do nível do mar provoca evacuação de cidades litorâneas por todo o Brasil
Tribuna do Sudeste online  (1.1.2104)

 

Fim do litoral brasileiro redesenha o país
Voz do Norte online  (24.3.2107)

————–

2116

Brasil, 21h

PRONUNCIAMENTO NACIONAL

— Senhoras e senhores telespectadores, interrompemos a nossa programação para acompanhar um pronunciamento da representante do Sistema Nacional de Alertas Climáticos –  SNAC. Parece que teremos novidades. Estou certo Audrei?

— Sim, com certeza Juliano, parece que teremos um novo ministério para tratar das adversidades climáticas que temos sofrido. Chegou! Chegou! Vamos ouvir a nova ministra, Elisa Consorte.

———

   A todos os brasileiros e brasileiras, Boa Noite.

   O Brasil vive um momento complicado, como nunca antes visto.  Hoje, o presidente nos elevou ao nível de Ministério, com poder de ação imediata, para que possamos agir com mais liberdade e estabelecer um programa de reorganização urbana, extremamente necessário para que possamos lidar com os diversos e complicados problemas que estamos enfrentando em todo o Brasil.

   A primeira ação deste Ministério é instituir o “Racionamento Nacional de Energia Elétrica”. Sei que isso dificulta a vida de todos, mas passamos por secas históricas e, para lidarmos da melhor forma possível com isso, teremos que fazer cortes de energia diários e por tempo indeterminado.

   Para a população, estamos oferecendo planos de financiamento para a compra de minissistemas de captação de energia solar. E podemos dizer com alegria que as três usinas eólicas no Rio Grande do Sul entraram em funcionamento hoje, e pelos próximos três meses testaremos a distribuição energética da primeira fase do projeto.

   Também estamos capacitando todos os hospitais, escolas e locais de atendimento popular com miniestações de energia, capazes de receber carga para funcionamento por até uma semana. No entanto, isto afeta outros projetos governamentais, o que será explicado pela Ministra da Economia, em pronunciamento, amanhã às 10h.

   Neste sábado, às 9h, faremos um teste nacional para avaliar o funcionamento dos alarmes contra instabilidades climáticas. O povo brasileiro deve participar e, posteriormente, comunicar as falhas presenciadas, nos ajudando a aprimorar o alerta que salvará inúmeras vidas. Estamos prevendo o seu funcionamento em cem por cento no prazo máximo de dois meses.

Peço a todos os brasileiros e brasileiras paciência e apoio neste momento difícil que todos nós enfrentamos e que, com certeza, vamos superar.

Boa Noite.

—————
                — Juliano, a fala da ministra não deixa dúvidas, a previsão é de que o clima vai se manter instável e a lógica é equipar locais públicos, estabelecimentos e casas com um sistema independente de energia. Ela acabou de se retirar, não vai responder nenhuma pergunta. De volta aos estúdios.

 

 

2126

“Alana, a situação aqui está muito, mas muito tensa, a polícia e a guarda civil estão retirando à força os últimos moradores dos prédios em frente ao litoral praiano aqui na zona sul e em todo o Rio de Janeiro. Há pelo menos 15 anos a entrada nas praias aqui é proibida, porque simplesmente não sobrou faixa de areia e o risco de morte era iminente. Ações jurídicas protelaram a situação, mas depois do último avanço do mar, a decisão favorável foi dada ao SNAC e um grande esforço será feito para salvar a cidade. Alana, os prédios serão derrubados para que funcionem como um paredão de pedras, impedindo o mar de avançar.

As gerações futuras só saberão o que é praia, infelizmente, por arquivo. ”

 

 

População da Zona Sul e Barra resistem: Defesa Civil
faz remoção forçada

Tribuna do Sudeste online  (4.6.2126)

 

População desalojada do litoral brasileiro protesta no
centro de todas as capitais
Voz do Norte online  (11.11.2127)

 

Migração interna no Brasil inteiro: milhões ocupam
ruas e terrenos
Nordeste na Hora online  (28.4.2129)

Decreto de Emergência extingue a propriedade privada
não habitada no Brasil – Todas as forças militares estão nas ruas para garantir ocupação dos terrenos.
Nordeste na Hora online  (25.4.2136)

Comprometimento Mundial para manter equilíbrio das correntes marítimas não foi levado a sério.
Cientistas lamentam e confessam:

 “É esperar pelo que está por vir. Tudo vai mudar. ”
Nordeste na Hora online  (25.4.2158)

 

Umidade do ar chega a 10%: toque de recolher já dura quatro meses em toda a região nordeste.
Centro Oeste Informa online  (9.2.2164)

 

Impactos ambientais são acompanhados no
mundo inteiro
Tribuna do Sudeste online  (4.6.2169)

 

Preço da água sobe 1000%, rações e itens de
emergência
batem recorde de venda
Centro Oeste Informa online  (19.5.2184)

 

Presidente decreta evacuação de emergência na região sul: corredor de tornados se intensifica
Fator Sul online  (2.1.2195)

Desespero leva população aos bancos: colapso
para o país
Voz do Norte online  (15.12.2197)

Chuvas torrenciais provocam mortes e caos.
Ajuda humanitária já!  
Nordeste na Hora online (1.1.2198)

 

 

 

2198 – 2218

SEM REGISTRO OFICIAL

 

 

 

“Gente, olha aquilo! As pessoas estão saqueando as lojas de baterias e ração de emergência para todo o lado, a chuva está muito forte! Já estou com água na altura da coxa e só passou 40 minutos. Os guardas gritam para as pessoas fugirem para os prédios mais altos. O que vai ser de nós? ” – José, registro por celular.

“Já estamos presos aqui há dois dias e a chuva não para, diminui, mas não para, a energia de rua foi cortada, está frio aqui e… fizemos fogueiras, pegamos toda a comida disponível, bateria, água, nem a das flores escapou, e estamos aguardando, esperando, mas as poucas notícias falam em inúmeras mortes e … eu não sei o que vai ser de nós. Eu não quero morrer. ”  – Josenilda, registro por celular.

“Fabricio? Para de gravar e me ajuda a levar os pacientes, temos que apertar todo mundo acima do quarto andar e mais gente está sendo deslocada… O que? Se eu sei o que vai ser de nós? Não tenho a menor ideia, só sei que meu marido e filha já se abrigaram, e estou feliz, vamos nos encontrar quando for possível. E agora desliga isso e vem me ajudar! ” – Carmem, registrada em celular.

“Ai droga, e agora? Aqui é baixo! Eu falei para a gente ir para o prédio. Joga a corda! Joguem uma corda! Eu vou tentar, eu vou sim! Isso aqui vai inundar e desabar! Eu não posso ficar aqui, eu não… eu vou sim! Calma nada! ” – Diego em registro no celular do amigo Fonseca, que está no prédio em frente à loja.

“Ele caiu! O Diego caiu! ” – Fonseca registrou a morte do amigo e mais cinco colegas 12 horas depois. A loja, de um único andar, ficou submersa em água, lixo e o que mais foi levado pela enxurrada.

“Naquele dia eu não saí de casa com o meu kit de emergência, a ração, sabe? Foi horrível, eu estava com fome e o dinheiro no meu bolso não valia nada, a caridade dos meus colegas de trabalho me salvou, mas para viver onde? Eu não sei, olha só como está tudo destruído. ” – Claudia, registro por celular.

 “Foi horrível, de repente nos vimos no segundo andar do prédio e subindo para o terceiro para nos abrigar. Muitos morreram naqueles dias torrenciais. Nunca imaginei que veria algo assim, apesar das insistentes medidas de segurança. ” – Sueli, em depoimento.

“Milhares e milhares morreram naquela Grande Mudança Climática em 2198, moço, parecia que todo o tipo de horror tinha acontecido ali, menos uma chuva. Eu nem sei se dá para usar esse nome” – Georgina, em depoimento.

 

 

2270

“Não havia a menor condição de enterro ou busca de sobreviventes, não sobrou gente para isso, só cremavam e cremavam. As pessoas fizeram uma grande lista com os desaparecidos e nos concentramos nos vivos, foi o que deu para fazer. ” – Lúcia, filha de Carmen, enfermeira que sobreviveu a 2198.

“Minha mãe era do sul, em 2198 mudou tudo por lá. Ninguém mora mais naquela área, virou corredor de tornado, milhares de sobreviventes fugiram, até maré brava com gelo deu por lá, pedra grande mesmo, do tamanho de um carro. Ela veio para cá e se casou com o meu pai, Fonseca, sobrevivente de 2198.” – Luis em depoimento em 2270.

“Faremos o que for preciso para o restabelecimento do país. ” – Prudente Goar, de 19 anos, resgatante voluntário em depoimento gravado em 2277, saindo para o mapeamento com outros três colegas que não quiseram gravar qualquer depoimento.

“Eu estava lá meu jovem quando em 2268 se iniciaram os esforços de reconstrução das regiões, distritos, sei lá… e do sentido da palavra humano. Os indígenas da noroeste nos reensinaram a viver em comunidade, os pioneiros na engenharia alimentar e ambiental começaram o resgate da flora, sementes e animais. ” – Dona Ceciliana para registro da época em 2337.

“Sim, começamos a nos organizar como um povo, uma sociedade de verdade, em 2270. Primeiro como províncias, que loucura… e depois de 30 anos, formamos a República Distrital do Brasil, com as três regiões, numa estrutura de governo misto, parlamentar, mas o que ajudou, e muito, a reconstruir o país foram os desbravadores, os resgatantes voluntários de toda a história e também de material genético, o que chamamos de HBN hoje. Eles mapearam o país, ajudaram a reconstruir o mapa brasileiro, morreram pelo bem maior, pois o tempo, meu rapaz, continuou terrível e continuará dificílimo. Tomara que consigam construir o tal sistema de segurança, mas até um redondinho aparecer, eu estarei morto, mas salvará a minha neta, isso é o que importa. ” – Seu Alcir, para registro em 2345.

 “Eu sei que parece besteira, mas minha mãe voltou para resgatar um livro e um álbum de fotos da nossa família, não queria esquecer, perder. E hoje sou uma antropóloga de resgate por conta desse episódio. Sei que um dia os poucos livros e material artístico no mundo vão se deteriorar, mas eu vou mantê-lo como uma relíquia de família, traduzi-lo, e espero que o esforço por um museu o proteja do que mostramos ser após a Grande Mudança. ” – Hadiya para registro em 2358, resgatando as lembranças do tornado que atingiu a sudeste há 50 anos atrás, vindo do Sul. Hadiya lembra o fato com o filho de 2 anos no colo. Sua mãe tinha 9 anos na época do ocorrido e morreu logo depois do neto, Amir completar 2 aninhos.

 

 

2395

 

EAD – Ensino à Distância

Vídeo Aula nº 08

 

Organização Governamental (Revisão)

Desde a nova organização do país, a população finalmente envolta num esforço coletivo, chegou a um consenso de que precisávamos dividir, sem acúmulo, sem adicional; uma república para todos, sem exceção. Isso significou entender e aceitar que o necessário para viver seria a nova máxima, pois apesar da abundância dos séculos anteriores, sempre fomos um país pobre de várias formas que o dinheiro nunca resolveu, e na cabeça de muitos continuaria assim.

Mas antes de pensarmos como um governo só, pensamos como um grupo, uma coalizão, por isso desenvolvemos a noção de Governo Misto, onde cada uma das três regiões possui três representantes para agir em prol dos assuntos do seu distrito sem a interferência dos outros dois, e também das necessidades nacionais em uma semana específica para isso, todos os meses na sudeste.

Elas e eles se reúnem e debatem as medidas com os outros responsáveis e as colocam em votação.

Todos trabalham por até 3 anos como pessoas comuns, sem privilégios, licenciadas de suas atividades, e caso não deem conta, a votação por outro representante é imediata.

Essa forma de governo reergueu todos os distritos, e nós, o povo, debatemos, lapidamos e adotamos as medidas necessárias para dividir tudo o que temos, e para que isso fosse oficial, foram criados os seguintes tratados para as medidas de interesse nacional:

Tratados das Águas e Outras Formas de Energia Pública – Define que não existe água particular; exige medidas de preservação e o uso de outras fontes, que devem se dar de forma ecoeficiente. Exemplo: os sistemas de energia solar residencial e as formas de energia ecossustentáveis como a marítima e a eólica.

Tratado para a Tecnologia Diversa – Diz que a tecnologia deve ser usada em prol da qualidade de vida, pois temos recursos limitados e estes precisam garantir a nossa segurança e sobrevivência em qualquer campo de atuação. Exemplo: as cúpulas, os vaporizadores e o selamento.

Tratado da Moradia e Organização Pública – Toda e qualquer construção é organizada, justa e voltada para o coletivo, assim como as cidades devem oferecer transporte de massa, limpeza e segurança. E claro, a lei que proíbe o acúmulo de propriedade privada se mantém.

Exemplo: cidade planejada, áreas de lazer públicas, moradias padrões (uma família = uma residência) e o VeTrans.

Tratado de Segurança – Sempre em atualização, tem a ver com todas as medidas adotadas para proteger o nosso modo de vida. Exemplo: presídios de trabalho, leis eficientes e as Forças Distritais (oficiais urbanos, nacionais e as instâncias relacionadas).

Tratado da Educação – Define a educação regular em modo 85% online e 15% presencial na primeira fase, quando possível. A segunda fase, superior, pode ter até 30% de presença física, conforme as necessidades da carreira, assim como o ensino profissional interno, que é organizado pelas empresas.

A única exceção é o ensino militar, 100% presencial e suas regras ficam a cargo da Junta Superior das Forças Distritais.

————–

Outras medidas de Impacto

Devemos citar também a criação do sistema de Identificação Biométrica Nacional, ligado ao de Identificação Nacional, onde o indivíduo, logo ao nascer e seguindo por toda a sua vida, recebe uma identidade digital com a sua vida escolar, financeira, trabalhista, criminal, médica e qualquer outra informação que possa ser relevante. Mas cabe aqui esclarecer que a identidade ligada à biometria é uma opção que ainda é debatida e questionada.

O controle populacional com a Lei do filho único também foi extremamente importante para garantir a qualidade de vida da população brasileira, pois o território brasileiro, após a Grande Mudança Climática que atingiu todo o mundo, perdeu em média 40% de seu território, especialmente as zonas habitáveis, as contaminadas e toda a circunferência litorânea brasileira por causa do aumento do nível do mar e, ainda, boa parte da região sul tornou-se área de passagem de tornados, o que a tornou inabitável.

Tratado para a Alimentação Distributiva foi o documento mais difícil a ser elaborado, pois trata das regras de reprodução, acesso e tecnologias permitidas para garantir a qualidade dos alimentos em todo o território nacional, incluindo o Acordo de Regulamentação Alimentar, que rege as regras para a compra, o acesso familiar e, em especial, o câmbio público, que limita a quantidade a ser comprada, conforme disponibilidade comercial.

Todas essas medidas demandaram um esforço conjunto, a criação e a renovação de um sistema e setor que conectasse as informações, e a sua versão mais atualizada se chama Centro de Controle de Distribuição Pública, o CCDP, criador do sistema ACI – Aparelho de Comunicação Integrada, a nova ferramenta-identidade do povo brasileiro, mas o seu funcionamento está diretamente ligado à biometria, excetuando e causando indignação em parte da população.

Mas não podemos esquecer que em 2307, os resgatantes e os policiais voluntários exigiram do governo uma organização mais específica de segurança geral, e daí fundaram as Forças Distritais no Brasil, que aos poucos foi se organizando e criando estruturas mais rígidas de preparo e treinamento de oficiais para as várias frentes de crimes.

E para o tratamento dos crimes relacionados ou não aos recursos e outras questões de registro oficial que necessitam de segurança, foi criado em 2370 o Centro de Investigação Avançada, o CIA, organização mista de investigação e catalogação de informações do distrito. Cada região tem o seu, e os Altos Oficiais são a instância máxima, com poderes para investigar, encaminhar provas e outras funções relevantes com a condição especial de Resgatante.

Deixe seu comentário. Até logo. 

Site – http://brasil2408.com.br/

Facebook – https://www.facebook.com/brasil2408/

Instagram https://www.instagram.com/brasil2408/

 

Comentários