Pensando Ubuntu: Que venham os novos caminhos

O início do ano de 2017 não tem sido fácil, mas o lançamento físico da minha obra (In)Verdades, o apoio dos parceiros-amigos literários (Pam, Bruna e Bruno) e algumas conquistas diante do reconhecimento de uma boa estória de representatividade, em forma de release do livro no Escrev´Arte e no formato de uma entrevista no canal Em sua Estante.

Ao decidir trilhar esse caminho, eu sabia que ser autora independente seria difícil, mas o que descobri infelizmente é que falar em representatividade e diversidade pode tornar tudo ainda mais complicado e isso me chamou a atenção.

Continue lendo