via Nó de Oito – A Importância da Presença Negra na Ficção Literária Adulta

Tem artigo meu lá no site Nó de Oito.
Continue Reading

Vamos falar sobre… Exposição Midiática?

Esse artigo não é nenhuma receita para se dar, pois se a mesma existisse não veríamos todos os anos uma nova técnica surgindo, quer dizer… a mesma lógica com um nome diferente e cara por demais, mas algumas coisas fazem sentido, não importa o nome dado, o um dia após o outro é sempre o melhor caminho.

Como autora independente e leitora também fico me perguntando onde posso melhorar, mudar e o que vejo acontecer e não acontecer.

Continue Reading

Quarta Literária: A África que Incomoda de Carlos Moore

Carlos Moore é uma das mentes mais importantes da atualidade quando se trata de falar de África, racismo e diáspora negra.

Continue Reading

Black Silence: HQ sci-fi independente, representativa e premiada

HQ de tremenda qualidade… essa é a dica de hoje.

A grosso modo é o que tenho a dizer de Black Silence da Mariana Cagnin, uma poderosa e forte HQ (história em quadrinhos) sobre pessoas, espaço e vozes.

Esta HQ existe e foi lançada através de uma campanha de financiamento coletivo no Cartase, que bateu a meta e nos deu esse trabalho muito bem feito, produzido, interessante e com representatividade e a imagem abaixo já mostra o que adoro nela.
Continue Reading

Henrietta Lacks: Células, medicina, família, livro, filme e verdade

Henrietta Lacks

Essa é uma história que estava oculta na história, o nome e a vida da mulher negra que revolucionou os estudos da medicina em relação à remédios e vacinas, a indústria ganhou milhões e ainda ganha, mas ela nunca soube, sua família nunca soube.
Enquanto suas células fizeram fortunas de um lado, do outro faltava uma mãe e recursos aos seus cinco filhos, mas não só isso, faltava a sua identidade, quem era, como viveu, pois falar em câncer não era bom e assim não falavam dela. Tudo isso de impactou a vida do pai David (Day) e especialmente de seus filhos Joseph (Joe/Zakariyya), David Jr. (Sonny), Lawrence, Deborah (Dale) e Elsie, mas o destino de algum modo viria a mudar isso 60 anos depois, contando não só como surgiram as células HeLa, mas o que aconteceu com sua família.

Continue Reading