A primeira heroína negra de uma obra ficcional futurista na categoria duologia/trilogia, na história da literatura nacional tem nome, nos representa e é o que queremos, Ena! Ena! Ena! Geralmente eu faço post quarta e sábado, mas não deu para aguentar, eu quero apresentar para vocês, agora, a capa do …