Kindred: Sua ficção e sua realidade

Quando ouvi falar a primeira vez deste livro, lançado em 1979 da Octavia achei ele curioso, pois as traduções que consegui fazer falavam de seu uso em estudos na escolas, até comentários em sites falavam sobre ele, pessoas que o leram e comecei a pensar em seu impacto e importância para ocupar este lugar.

E para esclarecimento, só escrevo artigos com explicações dos fatos, não sigo a regra dos 3 minutos da internet, pois meu objetivo é instrução, logo é TEXTÃO.

Continue Reading

Inspiração negra: representatividade e espelho

A-ha!!!!!

E vocês pensando… lá vem textão, hoje não, mas tem muita palavra, isso tem, mas textão não…

E em minha defesa eu só faço textão elucidativo e explicativo, por isso não falta material de download neles. E cá estou eu entre os detalhes da Bienal para sair linda, a busca por emprego, bicos e contos, este último um campo de inspiração negra de inúmeras possibilidades.

Continue Reading

Afrofuturismo: O herói e a heroína negra tem raízes (parte 2 de 3)

Raízes…

Isso é algo muito importante quando se trata de representatividade e positivar ou negativar um imaginário.
A questão do herói ou heroína de rosto negro precisa ter passado para apresentar um presente e falar de um futuro. No afrofuturismo entramos numa nova dimensão, onde temos como obrigação construir um novo referencial e caminho para o nosso personagem.

Imaginei as pernas do Wadei (Duologia Brasil 2408) exatamente assim.
Continue Reading

Afrofuturismo: O herói e a heroína negra tem raízes (parte 1 de 3)

Afrofuturismo…

Não, não é uma palavra que combina a ideia de negros e futurismo, nem pensar… muito longe disto. O seu propósito vai além, propõe uma face negra de aspectos e ancestralidade africana e isso é sem igual.

Este é o primeiro artigo, farei um total de 3 sobre o tema: um sobre a minha obra e outro de aspectos a se repensar, como fazer na prática com exercícios de produção criativa.

Abaixo temos a imagem mais significativa do Afrofuturismo, a capa de um livro do autor americano Ytasha L. Womack’s – Afrofuturism: The World of Black Sci-Fi and Fantasy Culture (1990) que fala, explica o conceito, a filosofia, a estética, a essência e aponta inúmeros artistas em todas as áreas e épocas que fazem uso não só de elementos, mas resgatam a cultura africana e/ou afrodiaspórica dentro da sua inserção, lugar, estar e representar.
Afrodiáspora significa a condição negra fora da África, os negros e suas raízes pelo mundo.

 

Continue Reading